Não há conflito institucional entre PF e STF, diz Jobim

Mendes diz que ministro da Justiça 'não tem competência para opinar' sobre habeas-corpus de Dantas

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

14 de julho de 2008 | 20h25

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, considerou nesta segunda-feira, 14,  "normal" as polêmicas envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, no âmbito do inquérito da Operação Satiagraha, da Polícia Federal (PF). Questionado, Jobim disse que não há "conflito institucional" entre a PF e o STF, "como se pretendem alguns setores da mídia".Nesta segunda, Gilmar Mendes afirmou, em visita ao Grupo Estado, que o ministro da Justiça, Tarso Genro, "não tem competência para opinar" sobre sua decisão de conceder o habeas-corpus ao sócio-fundador do Banco Opportunity, Daniel Dantas, preso durante a Operação Satiagraha, deflagrada para desbaratar um suposto esquema de desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro.O banqueiro teve o pedido de prisão autorizado duas vezes pelo juiz titular da 6ª Vara Federal Criminal, Fausto Martin De Sanctis. No entanto, em ambas ocasiões o presidente do Supremo mandou a PF soltá-lo. Para Jobim - que já presidiu o STF -, a divergência entre PF e Mendes está nas críticas do ministro sobre os vazamentos das operações da corporação. "Isso é normal, absolutamente normal dentro do Estado Democrático de Direito e cada Poder tem o seu espaço. Isso não pode se tomar, como se pretendem alguns setores da mídia, em um conflito institucional. Não há. Há uma manifestação do ministro Gilmar Mendes, não sobre as investigações que a polícia faz, mas sobre a modalidade utilizada pela polícia para a demonstração dessas investigações", afirmou o ministro da Defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.