Não há como não discutir 'kit gay', diz Alckmin

O governador Geraldo Alckmin disse nesta segunda-feira que não dá para escapar das discussões sobre o "kit gay" na segunda etapa da campanha eleitoral à Prefeitura de São Paulo. Ele argumentou que muitas vezes não são os candidatos que estabelecem a pauta de discussões. "Ela surge da sociedade civil, do debate. Esse não deve ser o foco da eleição, mas também não há como não discutir", disse.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, Agência Estado

15 de outubro de 2012 | 15h25

Questionado sobre a crítica feita por José Serra ao kit anti-homofóbico preparado pelo Ministério da Educação na gestão do então ministro e agora seu oponente, Fernando Haddad (PT), na corrida municipal, o governador disse que não viu o texto a que Serra se referia. Uma coluna do jornal Folha de São Paulo cita nesta segunda-feira que, em 2009, quando ainda era governador, Serra promoveu a distribuição de material similar ao "kit gay" a escolas estaduais.

Participando de evento realizado em São Paulo, Alckmin reiterou que Serra tem tudo para ganhar a eleição no segundo turno. "Vamos trabalhar bastante nestas duas semanas e aguardar o julgamento da população. Estamos com otimismo e confiança", disse o governador.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPAlckminkit gay

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.