Não há clima para projeto sobre 3º mandato, diz Chinaglia

Presidente da Câmara afirmou que na Casa há vários projetos para acabar com a possibilidade de reeleição

DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

02 de abril de 2008 | 13h30

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), afirmou que não há ambiente na Casa para votar um projeto que estabeleça um terceiro mandato para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ou que proponha um plebiscito sobre o assunto. Na terça, em entrevista a uma emissora de rádio, o vice-presidente, José Alencar, defendeu a manutenção de Lula na presidência da República ao final do segundo mandato. "Respeito as opiniões políticas existentes, mas isso não prospera. Não vejo clima para prosperar no Congresso Nacional", afirmou Chinaglia.   Veja também:    TV ESTADÃO: 'Terceiro mandato é tentação autoritária', diz cientista político da USP   ESPECIAL: A partir de José Sarney, quanto cada presidente ficou no poder    FÓRUM: Você concorda com a declaração de José Alencar?  Ouça declaração de Alencar  O presidente da Câmara afirmou que na Casa há vários projetos para acabar com a possibilidade de reeleição. E que se fosse comparar os dois casos, a chance maior seria a aprovação da proposta que acaba com a reeleição. Chinaglia manifestou-se contrário a um eventual terceiro mandato do presidente Lula e também se disse contra a possibilidade de reeleição.   O ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, descartou na terça  a possibilidade de um terceiro mandato para o presidente.   "Conheço a vontade do presidente. Ele deseja terminar seu mandato, e a Constituição brasileira diz que só tem direito a dois mandatos", comentou José Múcio ao assegurar que, o fato de Lula ter defendido a reforma política no Conselhão não reflete nenhum interesse em permanecer à frente do Planalto.

Tudo o que sabemos sobre:
Terceiro mandato

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.