''Não há calote, queremos pagar''

Gilberto Kassab: prefeito de São Paulo; prefeito, que administra dívida de R$ 11,2 bilhões em precatórios, diz que é difícil quitar débitos sem ?planejamento?

Entrevista com

Moacir Assunção, O Estadao de S.Paulo

03 de abril de 2009 | 00h00

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), se diz um defensor de primeira hora da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Precatórios que foi aprovada anteontem no Senado. Tanto que fez questão de ir a Brasília para, ao lado de parlamentares do seu partido,com apoio do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), ajudar a apressar a tramitação da proposta, que diminui o peso da dívida sobre os municípios e Estados, ao criar um regime especial para o pagamento das obrigações.No caso da capital paulista, o valor dos precatórios atrasados chega a R$ 11,2 bilhões, o que equivale a 40% da receita anual do município. A PEC segue agora para a Câmara. A seguir, os principais trechos da entrevista:Qual é a vantagem da PEC dos Precatórios, em sua visão?Ela permite que as prefeituras façam um planejamento para pagar suas dívidas. A PEC é tão importante que eu fiz questão de ir pessoalmente ao Congresso para apoiar a proposta. Sou totalmente favorável à PEC.E hoje, não é possível planejar?Nós, prefeitos, queremos pagar as nossas dívidas, mas é preciso ter planejamento, senão fica difícil fazer os pagamentos. Não há calote algum.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.