'Não há alternativa', diz Temer sobre mínimo de R$ 545

O vice-presidente da República, Michel Temer, defendeu hoje a aprovação do salário mínimo de R$ 545. "Não há outra alternativa. Cada real a mais corresponde a R$ 287 milhões a mais no orçamento", afirmou ele, ao chegar à Câmara para um debate com a bancada do PMDB sobre reforma política.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 12h14

Temer destacou que a política de valorização do mínimo negociada pelo governo anterior com sindicalistas foi bem-sucedida e lembrou que daqui a dez meses o salário mínimo deverá ser reajustado para R$ 615, conforme projeção do governo. Temer disse acreditar que o PMDB votará majoritariamente pelo valor de R$ 545 na sessão extraordinária da Câmara marcada para hoje à tarde. Ele afirmou que trabalha para que a bancada vote unida e forte com o governo.

Tudo o que sabemos sobre:
salário mínimovotaçãoTemerPMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.