Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

'Não faremos do debate sobre o Brasil um ringue', diz Campos

Após encontro entre PSB e Rede, possível candidato à presidência reforçou que aliança entre as siglas tem 'outro jeito' de fazer política

Débora Bergamasco, Agência Estado

16 de outubro de 2013 | 13h40

Ao deixar reunião de quase duas horas com a ex-senadora Marina Silva e alguns integrantes da Rede Sustentabilidade, em Brasília, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), afirmou que não fará do debate eleitoral um ringue. Segundo ele, no encontro desta manhã, foi feita uma saudação à aliança firmada entre PSB e Marina.

"Se depender de nós, não faremos do debate sobre o Brasil um ringue, não é o meu jeito, nem o jeito da Marina fazer política", respondeu ao ser indagado sobre as críticas dos adversários à parceria dos dois partidos. Eduardo Campos contou que na reunião Marina agradeceu a acolhida que recebeu do PSB.

De acordo com relato do senador do PSB Rodrigo Rollemberg, que estava presente ao encontro, Eduardo Campos disse que PSB e Rede devem evitar "as cascas de banana". Ele se referia a tentativas dos adversários de colocar Campos e Marina um contra o outro em uma disputa de quem seria o candidato à Presidência em 2014. "Temos que estar vacinados em relação a isso", opinou Rollemberg.

A declaração de Campos surge após as trocas de farpas entre Dilma e Marina Silva. Na segunda-feira, 14, a ex-senadora criticou a presidente ao dizer que seu governo havia abandonado o "tripé econômico" (formado pela geração de superávits primários nas contas públicas, regime de câmbio flutuante e metas para a inflação) devido à inflação. Na terça, 15, a presidente Dilma foi enfática e respondeu Marina indiretamente ao afirmar que a inflação e as contas públicas estavam controladas.

Polarização. Em entrevista ao Programa do Jô, que foi ao ar na madrugada desta quarta-feira, Marina Silva afirmou que a aliança com o PSB levou em conta a possível candidatura de Campos. A ex-ministra também criticou a polarização PT-PSDB."Há uma busca de que a eleição de 2014 aconteça no terreno da polarização PT x PSDB. Parece que as pessoas já descobriram que essa é a forma mais fácil de não discutir ideias e apenas entrar no ringue para embate", afirmou."Chegou a hora de a nova república aposentar a velha república". COLABOROU MATEUS COUTINHO

Tudo o que sabemos sobre:
CamposMarinaPSB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.