Não existe partido formado só por santos e freiras, diz Genoino

O presidente nacional do PT, José Genoino, tentou minimizar hoje o escândalo envolvendo o ex-assessor do Palácio do Planalto Waldomiro Diniz. Durante explanação no seminário da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) sobre reforma política, Genoino garantiu que não existe partido político formado só por santos e freiras. E criticou o que ele classificou de futricas, voltando a atacar o PSDB, principalmente o presidente nacional do partido, José Serra, a quem Genoino atribui a autoria da denúncia contra o ex-assessor do ministro da Casa Civil, José Dirceu. "Hoje tem o caso Waldomiro, mas já tivemos outros casos como o Ricardo Sérgio (Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-diretor do Banco do Brasil ,que foi tesoureiro da campanha de José Serra ao Senado em 1994 ), já tivemos o caso do dossiê Caymã; a história envolvendo Roseana Sarney nas eleições presidenciais, entre outros", afirmou.Segundo o presidente nacional do PT, essas futricas fazem parte do jogo político do sistema presidencialista. "Se o sistema presidencialista não for reformulado, teremos risco de governabilidade. Por isso, não adianta ficar culpando o presidente Lula, o príncipe dos príncipes Fernando Henrique Cardoso ou o ex-presidente Fernando Collor", alfinetou. Genoino tentou justificar, também, as críticas de que seu partido tem atuado como rolo compressor para abafar o caso Waldomiro Diniz, com o argumento de que tudo isso faz parte do jogo político do sistema presidencialista. O presidente do PT tem garantido que Waldomiro Diniz não é filiado ao PT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.