'Não estudei o mensalão', diz Barroso em sabatina

BRASÍLIA - O advogado Luís Roberto Barroso repetiu nesta quarta-feira, 5, que gostaria de participar do julgamento do mensalão, mas evitou se posicionar sobre os pontos do processo. Barroso preferiu ser reticente e admitiu que não estudou o mensalão. Ele foi indicado para assumir uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF) pela presidente Dilma Rousseff

RICARDO BRITO, Agência Estado

05 Junho 2013 | 16h57

"Não estudei o mensalão, não estudei pontos que estão em aberto. Se alguém me perguntar, direi honestamente  não sei", afirmou durante sabatina realizada pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Barroso afirmou que, se aprovado, irá estudar o caso.

"Ninguém me pauta, nem governo, nem imprensa, nem acusados. Vou fazer o que eu acho certo", disse, em resposta ao senador Álvaro Dias (PSDB-PR).

Barroso foi também questionado sobre a perda de mandatos de parlamentares. A questão está em debate em razão dos deputados condenados por envolvimento no caso. Para o Congresso, cabe ao Legislativo votar a cassação de mandatos, mas a visão não é consensual. O advogado não quis dar seu posicionamento alegando que não estudou detalhadamente o caso. "Há contradição interna na Constituição (sobre esse assunto). Se estiver lá (no STF), vou tomar minha decisão, mas não ouvi todos os argumentos", disse.

Mais conteúdo sobre:
Barroso sabatina mensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.