Não é problema meu, não comento, diz Lula sobre lista de Furnas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou falar sobre a lista de Furnas, ao deixar a universidade Federal de Minas Gerais (URMG). "Não é um problema meu, não vou comentar", disse Lula, ao referindo-se ao dossiê em poder da Polícia Federal, no qual estão incluídos os nomes de 156 candidatos do PSDB, PFL, PTB, PL, e PP, que teriam recindo dinheiro da estatal nas eleições de 2002. A autoria da lista é atribuída ao ex-diretor de Furnas Dimas Toledo.Ele foi perguntado pelos jornalistas se ele se sentia em campanha, e ele disse que não. Lula afirmou que o que ele está fazendo é inaugurar as obras que ele havia iniciado. "É como se eu tivesse plantado um pé de laranja e não pudesse chupar a laranja, mas alguém tivesse de chupar em meu lugar", comparou.Lula disse que é presidente da República até o dia 31 de dezembro de 2006. E que a convenção do partido vai acontecer no dia 30 de junho e, enquanto não houver uma definição sobre o candidato do PT, ele vai viajar, fazendo o que tem de fazer. "Cada um tem o direito de inaugurar o que fez. Quem fez inaugura, quem não fez lamenta que os que fizeram esteja sendo inaugurado", afirmou. O presidente disse que não pretende interpelar ninguém que também esteja em campanha, a exemplo do que fez o PSDB com ele. "Os nossos adversários gostariam que eu ficasse em casa ou no Palácio do Planalto. Prefiro ser criticado por fazer do que por não fazer", afirmou.O presidente comparou seu governo a uma semente que se planta, que por um tempo fica tirando as ervas daninhas, até que se possa chegar ao fruto de colher. E disse ainda que, em seu governo, Educação e pobre não são gastos, mas investimentos. "E dão mais retorno do que muitas outras coisas", disse.Durante discurso feito na cerimônia de inauguração de Faculdade de Educação da UFMG, Lula estava especialmente bem-humorado, ressaltou diversos projetos que o governo federal tem feito na área e citou a elevação dos investimentos em projetos sociais. Ele falou também que é o único presidente que recebeu todos os reitores de universidades. "Eu instituí esse hábito de receber os reitores, que outros presidentes não tinham, até gente que era do mesmo meio", disse. Lula inaugurou três obras na UFMG e viajou para São Paulo, para passar o fim de semana em seu apartamento em São Bernardo do Campo. Ele está acompanhado pela primeira-dama Marisa Letícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.