Não é preciso mudar sigilo em obras da Copa, diz PMDB

O presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), admitiu hoje que não é preciso alterar o texto da Medida Provisória (MP) que propõe um Regime Diferenciado de Contratações (RDC) para agilizar as licitações das obras da Copa do Mundo de 2014.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

22 de junho de 2011 | 13h35

O PMDB se convenceu dos argumentos do governo após se reunir ontem com a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti. "Não existe sigilo. O texto busca apenas evitar o conluio de empresas no momento da licitação", disse o senador. Para Raupp, basta melhorar a redação do artigo para eliminar as dúvidas sobre o assunto.

A oposição criticou um dispositivo da MP que permite manter sob sigilo o valor de referência das obras e serviços contratados nas licitações. Inicialmente, o PMDB endossou os argumentos e passou a exigir a mudança no texto. Agora, Raupp recuou, reconhecendo que o objetivo do sigilo é evitar que as empresas combinem preços entre si e comprometam a concorrência.

Tudo o que sabemos sobre:
sigiloCopaPMDBobrasCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.