Não é polícia política, diz Tarso

O ministro da Justiça, Tarso Genro, reiterou ontem, em entrevista à Rádio Gaúcha, que a Polícia Federal investigará somente o vazamento das informações dos documentos relativos aos gastos da gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele reagiu às críticas da oposição de que a Polícia Federal não trabalharia com isenção. Tarso argumentou que, se a PF fosse transformada em uma polícia política, ela teria que investigar "indicações em abstrato de todos os lados" e teria "que fazer uma investigação sobre o senador Álvaro Dias (PSDB), que obteve um documento ilegal e divulgou este documento".O ministro, no entanto, rejeitou essa hipótese, ressaltando que "essa é uma característica dos regimes totalitários". Ele reforçou que a polícia deverá investigar um fato criminal: o roubo de informações. "O resto é debate político e assim deve prosseguir".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.