DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Não devemos nos impressionar com a saída de partidos da base, diz Temer

Após PDT e PTB deixarem aliança com o governo, vice-presidente diz que Planalto continuará dialogando e ressaltou que é preciso se preocupar com o país

Rachel Gamarski , O Estado de S. Paulo

06 de agosto de 2015 | 15h12

Brasília - Após perder dois partidos da base aliada, o articulador político do governo, o vice-presidente Michel Temer, fez mais um apelo e disse que o governo não vai se impressionar com o "o dia de ontem e nem o de hoje". "Nós vamos continuar dialogando, não vamos nos impressionar com dia de ontem, com dia de hoje, mas o alerta era indispensável".

 

Após a retirada do PDT da base aliada do governo e o anúncio do PTB de que votará contra o governo, Temer reconheceu que o Planalto leva em conta as considerações dos partidos. "O governo leva em conta essas considerações, nós temos que ter tranquilidade para harmonizar toda a base governativa e, mais do que harmonizar a base, haver uma preocupação com o país", frisou. 

Sobre o PTB, Temer disse que o partido declarou independência e que isso significa que "votarão de acordo com suas convicções, o que, de alguma maneira, já vinham fazendo". 

Em relação ao PDT, o vice-presidente lembrou que o partido votou contra o governo nas medidas provisórias do ajuste fiscal. "Muito atento às suas convicções, quando se verificaram as medidas provisórias, por exemplo, a do seguro desemprego, os parlamentares do PDT vieram a mim e disseram que não podiam votar, que iam votar contra", finalizou.

Tudo o que sabemos sobre:
TemerPTPDTbase aliada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.