Não dá para comemorar mínimo porque renda é baixa, diz Ciro

O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, disse que não é o momento de o governo comemorar a aprovação na Câmara dos Deputados da medida provisória que fixa o salário mínimo em R$ 260, pois a renda do povo brasileiro continua baixa. "Há milhões de brasileiros desempregados e a renda do povo ainda não tomou uma trajetória consistente de crescimento", afirmou Ciro, que na quarta-feira à noite assistiu, em Belo Horizonte, ao jogo entre Brasil e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006. Segundo o ministro, a economia nacional já começa a sinalizar para uma mudança concreta depois de ter batido no fundo do poço, em 2002 e 2003.Ciro saiu em defesa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, segundo ele, procurou "olhar para todos os ângulos possíveis" na busca de um aumento maior do mínimo. "O problema é que nós herdamos um conjunto de problemas que interagem com o salário mínimo. O mais grave deles, o rombo astronômico da Previdência. E também o nível de endividamento do País", salientou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.