JOSE PATRICIO|ESTADÃO
JOSE PATRICIO|ESTADÃO

'Não adianta colar minha foto com Aécio', diz Janaína ao se defender de provocações na internet

Advogada virou alvo de internautas que lembraram de foto sua com Aécio após discurso no Senado à época do impeachment

Elisa Clavery, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2017 | 14h51

A advogada Janaína Paschoal, uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff no ano passado, escreveu em seu Twitter neste domingo, 21, que "assume" já ter acreditado no senador Aécio Neves (PSDB), mas que "errou". A jurista defendendo-se de provocações que recebeu na internet após criticar o tucano. 

"Não adianta colar minha foto com Aécio. Eu acreditei nele, errei, me decepcionei. Assumo! Quero vê-lo preso! Vocês querem Lula presidente!", escreveu na rede social.

Janaína, que já tinha criticado o tucano após a divulgação das gravações que mostram Aécio pedindo R$ 2 milhões da JBS, acabou virando alvo dos internautas na última semana. Eles relembraram o momento em que Janaína recebeu apoio de Aécio após discurso no Senado à época do impedimento de Dilma.

Outros criticaram o fato de a advogada, que foi protagonista no impeachment no ano passado, ainda não ter se manifestado na Câmara sobre o impedimento do presidente Michel Temer. 

A advogada criticou, ainda, o fato de a JBS ter comprado dólares às vésperas do vazamento dos áudios da delação premiada de Joesley Batista. 

"Comprar dólares e vender ações, aos bilhões, usando informação privilegiada, é crime e enseja prisão!", disse Janaína neste domingo. "Acordo de colaboração premiada alcança crimes passados, mas não crimes futuros! Depois da delação, os irmãos JBS praticaram novo delito."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.