?Não acharão nenhuma corrupção neste governo?, diz Dirceu

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, garantiu hoje que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tem nenhum caso de corrupção sendo investigado, que não há nenhuma denúncia de corrupção contra ele, mesmo depois de ter passado ele próprio, assim como "todo o governo", por investigações durante os 40 dias que seguiram à denúncia do ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz. "O governo não rouba e não deixa roubar", assegurou, em entrevista coletiva, antes de participar do Fórum Globonews, em São Paulo. Garantindo que mesmo que procurem nada será encontrado contra o governo, Dirceu enfatizou ainda que o governo pode ser investigado porque não tem medo, tem transparência e seguirá investigando todas as denúncias que surgirem. "Eu pergunto ao País: são 15 meses de governo, existe alguma denúncia de corrupção no governo do presidente Lula? De ministros? De agentes do poder público? Nem suspeita porque o caso Waldomiro Diniz é um caso que não mancha o governo, nem a imagem do PT porque está esclarecido e cada vez mais será esclarecido", disse. O ministro-chefe admitiu ter mantido "durante a década de 80" contato com Rogério Buratti, ex-dirigente petista e ex-secretário da Prefeitura de Ribeirão Preto (SP), que sofre investigação por processo de corrupção. Dirceu afirmou que Buratti trabalhou na Assembléia Legislativa de São Paulo com vários parlamentares do PT, inclusive no gabinete do próprio Dirceu. Ele relatou ainda ter conhecido Buratti em Osasco, quando era dirigente sindical, mas insistiu que a partir da década de 90 não manteve contato com o ex-secretário de Ribeirão Preto, mostrando inclusive irritação ao ser indagado sobre o tema, pois garantia que desde 1994 Buratti não pertencia mais ao PT. "Eu já disse que não tive relação com ele na década de 90, mas a má fé, o mau caratismo, leva a esse tipo de pergunta", disse, em tom ríspido ao jornalista que fez a pergunta se Dirceu havia estado com Buratti em Brasília. Dirceu não vai a MGDirceu confirmou ter cancelado a viagem que faria hoje para Minas Gerais, onde seria homenageado pela Assembléia Legislativa do Estado. "O ato de homenagem estava se transformando em ato de desagravo e já informamos que não há razão para desagravo. Por isso, decidimos adiar", explicou. Ele informou ainda ter sido convocado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para uma reunião hoje para discutir a agenda da semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.