Naji Nahas vendia ações a si próprio

O famoso investidor Naji Nahas ficou conhecido por suas operações especulativas no mercado de capitais

Da Redação,

08 de julho de 2008 | 17h00

O famoso investidor Naji Nahas ficou conhecido por suas operações especulativas no mercado de capitais, em 1989, com ações da Vale, sobretudo na Bolsa do Rio. Apoiadas em financiamentos bancários, três empresas do grupo de Nahas compravam e vendiam para si próprias ações da Vale, tanto no mercado à vista quanto no de opções, fazendo seu preço subir artificialmente. Esse tipo de operação ficou conhecido no mercado como "Zé com Zé".   Veja também: Imagens da Operação Satiagraha Opine sobre a prisão de Dantas, Nahas e Pitta  PF prende Daniel Dantas, Naji Nahas e Celso Pitta Daniel Dantas, pivô da maior disputa societária do Brasil Entenda o nome da Operação Satiagraha, que prendeu Dantas Entenda as acusações contra Dantas e Nahas Defesa diz que Dantas foi preso por vingança Mandados de prisão atingem familiares e funcionários de Dantas As ações da Polícia Federal no governo Lula Os 40 do mensalão    Nahas comprava e vendia ações da Vale no mesmo dia, sem desembolsar dinheiro próprio. Enquanto a maioria dos investidores esperava cinco dias para receber o dinheiro da venda de alguma ação, Nahas, com os adiantamentos dos bancos, recebia o dinheiro na hora.   O esquema funcionou até que o então presidente da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), Eduardo da Rocha Azevedo, convenceu os bancos a cortar o crédito de Nahas, que em 9 de junho de 1989 emitiu um cheque do Digibanco de US$ 10 milhões, sem fundos, para a corretora Ney Carvalho. O efeito veio em cascata. A Ney Carvalho e outras três corretoras quebraram e Nahas foi processado e condenado a prisão domiciliar de julho de 1989 a maio de 1990.   O passado   Nahas tem 61 anos, nasceu no Líbano, mas foi criado no Cairo, capital do Egito, na época em que o país era dominado pela monarquia corrupta submissa ao imperialismo inglês, numa casa de 10 mil metros quadrados de seu pai, Robert Salim Nahas, industrial do ramo têxtil.   A indústria da família foi nacionalizada em 1962, quando Gamal Abdel Nasser assumiu o poder e mandou para o exílio o rei egípcio Faruk. Após a morte do pai, Naji Nahas retornou a Beirute para estudar Economia, Na época, a família montou uma empresa trading. Em 67, ele veio pela primeira vez ao Brasil e casou-se aos 20 anos com a brasileira Sueli Aun, que conheceu em Beirute. O casal mudou-se definitivamente para o Brasil em 69 e teve quatro filhos.   Nahas iniciou suas atividades no mercado financeiro comprando ações do Banco do Brasil e da Petrobrás. Em poucos anos, montou um império de quase 30 empresas agrupadas na holding Selecta Indústria e Comércio, que também se tornaria famosa por suspeita de falência fraudulenta. A Selecta pediu concordata em junho de 89, deixando um passivo de US$ 40 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.