Nada afastará o governo da estabilidade, diz FHC

Em um discurso de cerca de 40 minutos, o presidente Fernando Henrique Cardoso disse que, apesar do desafio da crise de energia e das incertezas do mundo, "nada disso afastará o governo do rumo traçado, que é a consolidação da estabilidade econômica e os avanços sociais". Fernando Henrique participou da solenidade de apresentação dos oficiais-generais recém-promovidos.O presidente aproveitou seu discurso para fazer um balanço sobre várias áreas de atuação do governo. Segundo ele, os alicerces no Brasil hoje são mais sólidos, tanto na área econômica quanto na política. Na sua avaliação, as instituições democráticas estão mais enraizadas. Ressaltou também que desde a época em que era chanceler, se empenhou para que o Brasil conseguisse novas formas de energia, como a construção do gasoduto Brasil-Bolívia.Hoje, conforme o presidente, o País tem condições de vislumbrar as suas necessidades para os próximos dez ou vinte anos. Citou avanços na área de educação, saúde, tecnologia e reforma agrária. "Duvido que haja reforma agrária no mundo nos moldes que estamos fazendo aqui", disse. Para o presidente, o Congresso tem cumprido o seu papel de fiscalização. "Papel este que o governo não opõe resistência; apenas resiste para evitar que certas ações se transformem em palanque eleitoral". Agradeceu ainda a compreensão do Exército, que foi capaz de entender à necessidade de reequipar a Força Aérea. O presidente ressaltou que o Exército passa pelo mesmo problema de restrições orçamentárias que outras áreas. Ele lembrou a batalha pela aprovação do projeto do Sivam, o sistema de vigilância da Amazônia, e ressaltou que espera colher os frutos do projeto até o fim de seu mandato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.