Nabil: melhorar mobilidade urbana é prioridade em SP

A construção imediata de corredores de ônibus é a medida prioritária que a Prefeitura deveria tomar para melhorar a mobilidade urbana, na opinião do vereador eleito Nabil Bonduki (PT). O petista foi o terceiro convidado da TV Estadão para a série de entrevistas com os novos nomes da Câmara de São Paulo em 2013.

AE, Agência Estado

17 de outubro de 2012 | 17h33

Para Bonduki, o programa de corredores é necessário em caráter emergencial, além da produção de mais habitações no centro expandido e geração de empregos na periferia, o que reduziria o tempo e a quantidade de deslocamentos dos paulistanos. Ele alerta, porém, que a construção dos corredores não pode ser "sofisticada". "Em uma ou outra situação isso pode acontecer, mas precisamos de corredores que não exijam muitas desapropriações e sejam compatíveis com a melhoria do espaço público", indicou.

Além dos ônibus, Bonduki destacou a importância das malhas metroviária e ferroviária na cidade, assuntos que demandarão um diálogo entre a esfera municipal e a estadual. Ele disse não ver "problema nenhum" em ter de dialogar com o governador Geraldo Alckmin sobre essas questões. "Temos que ter essa articulação, uma governança acima da questão partidária. O diálogo é necessário".

Habitação e áreas verdes

O petista indicou que sua principal área de atuação será no Plano Diretor da cidade, mais especificamente no que diz respeito à habitação. Segundo ele, São Paulo está atrasada nesse aspecto e deixa a desejar na produção de novas unidades habitacionais. O arquiteto sugeriu uma avaliação do que ocorreu na capital na última década e uma análise sobre quais objetivos foram atingidos e quais outros precisam ser tratados.

Quanto às áreas verdes, afirmou que há um déficit em São Paulo. De acordo com o petista, é preciso "reduzir a desigualdade de áreas verdes na cidade" respeitando as contrapartidas estabelecidas pelas normas para novas construções e os mecanismos de preservação ambiental.

Entrevistas

Bonduki é arquiteto e já foi vereador entre 2001-2004. Antes, foi superintendente de Habitação Popular no governo da prefeita Luiza Erundina (1989-1992). Entre 2011 e 2012, comandou a Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente. Nesta campanha, assumiu a coordenação do programa de desenvolvimento urbano do candidato à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad (PT). Foi eleito com 42.411 votos.

A série da TV Estadão entrevista os vereadores com maior número de votos de cada partido em SP. O mais votado, Roberto Tripoli (PV), recusou o convite. Ricardo Young, mais votado pelo PPS, também foi convidado, mas não vai participar por estar fora de São Paulo. Já foram entrevistados Andrea Matarazzo (PSDB) e Conte Lopes (PTB). Na quinta-feira, 18, será a vez de Jair Tatto (PT) e na sexta, 19, Ari Friedenbach (PPS).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.