Na voz do governador, poemas clássicos para os estudantes

Mil CDs de poesia devem chegar à rede pública paulista

Edison Veiga e Pedro Venceslau, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

24 de julho de 2009 | 00h00

Entre outubro e novembro, cerca de mil escolas estaduais paulistas - um quinto do total - devem receber um CD com poemas declamados pelo governador José Serra (PSDB). O tucano, que "emprestou" sua voz para Olavo Bilac (1865-1918) e Castro Alves (1847-1871), aceitou o convite da Poiesis - organização que mantém, entre outras entidades, a Casa das Rosas e o Museu da Língua Portuguesa - para integrar do elenco do disco Gravado na Alma.Além de difundir a poesia, o projeto visa a incentivar a leitura de autores clássicos por meio de vozes conhecidas. Serra terá entre seus companheiros de CD personalidades como a jornalista Ana Paula Padrão, o ex-jogador de futebol Raí, o sommelier Manoel Beato, a atriz Clarice Abujamra e o músico Toquinho. "Todos aceitaram participar sem cobrar cachê. As gravações foram quase todas feitas em estúdio. A exceção foi o governador, que pediu que fôssemos até o Palácio dos Bandeirantes", conta Dirceu Rodrigues, um dos idealizadores do projeto. Ele conta que foram necessárias várias tentativas até que Serra acertasse o tom. "É que o microfone é muito sensível", justifica, lembrando que ruídos do ambiente do Palácio, como telefones tocando, dificultaram as gravações.O governador só impôs uma condição para participar: que ele pudesse declamar os versos de Vozes da África, de Castro Alves. Onde se lê o seguinte trecho: "Deus! ó Deus! Onde estás que não respondes?...". O outro poema recitado por Serra é um dos sonetos de Via Láctea, de Olavo Bilac.Orçado em R$ 12 mil - valor que inclui produção, aluguel do estúdio, edição, gravação, mixagem e masterização - , o projeto foi custeado pela Secretaria da Cultura. Não está descartada a gravação de nova tiragem em 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.