Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Na Vila, Bolsonaro divide torcida em clássico Santos x São Paulo

Na chegada, presidente ouve gritos de que estava em ‘estádio errado’; dentro da Vila é chamado ‘mito’ e recebe mais aplausos do que vaias

Glauco Braga, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2019 | 20h21

SANTOS – O presidente Jair Bolsonaro dividiu a torcida do Santos ao comparecer, neste sábado, 16, na Vila Belmiro, para assistir ao clássico contra o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro.

Antes mesmo de o jogo começar, na entrada da Vila, Bolsonaro foi chamado de “porco” e também ouviu que estava “no estádio errado”, em alusão ao time pelo qual o presidente torce, o Palmeiras.

Bolsonaro, que chegou ao estádio sob forte esquema de segurança, visitou o Memorial das Conquistas do Alvinegro e foi recebido pelo prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB).

Dentro do estádio, o presidente, que vestiu uma camisa do Santos, foi chamado de ‘mito’ pelos torcedores e foi mais aplaudido do que vaiado. Ele mais uma vez quebrou o protocolo e cumprimentou os torcedores das cadeiras cativas.

O presidente foi embora aos 36 minutos do segundo tempo do clássico – o jogo terminou em 1 a 1. Ele seguiu de volta para o Forte dos Andradas, no Guarujá, onde fica hospedado até a manhã deste domingo, quando volta para Brasília.

Sampaoli: ‘Temos pensamentos políticos diferentes’

Ao ser questionado sobre a visita de Bolsonaro à Vila, o técnico do Santos, Jorge Sampaoli, que é argentino, afirmou que tem “pensamentos políticos diferentes” do presidente, mas que é preciso respeitá-lo.

“Estamos em uma democracia. O presidente vai onde ele quer. Sou apenas o treinador. Não posso proibir nada, faltar com o respeito. Temos pensamentos políticos diferentes, mas estamos em uma democracia”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.