Timothy A. Clary/ AFP
Timothy A. Clary/ AFP

Na véspera de leitura de denúncia, Temer se reúne com Padilha e Moreira Franco

Ministros do núcleo duro do presidente estão em reunião no Jaburu que conta com presença de vice-líder do DEM

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

24 Setembro 2017 | 18h15

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer recebeu no fim da tarde deste domingo, 24, no Palácio do Jaburu, os ministros da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco, da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o vice-líder do DEM na Câmara, Pauderney Avelino (AM). O encontro começou por volta da 17h20 e conta também com a presença do porta-voz da Presidência, Alexandre Parola.

Na semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez críticas ao núcleo duro de Temer e cobrou 'mais respeito' do Planalto. Segundo o deputado, o PMDB e o governo deram uma 'facada nas costas' do DEM ao arregimentar políticos do PSB para o PMDB. O convite ao deputado Marinaldo Rosendo (PSB-PE) para se filiar ao partido teria sido a gota d'água no relacionamento. Apesar das críticas, Maia disse que não misturaria problemas partidários com o andamento da denúncia contra Temer na Casa.

Após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acusar o PMDB e o governo de dar uma “facada nas costas” do DEM, o presidente Michel Temer assumiu na quinta-feira, 21, mesmo a articulação para tentar contornar a insatisfação na base. Horas depois de chegar de Nova York, onde participou da Assembleia-Geral da ONU, Temer reuniu auxiliares e disse que marcaria uma conversa com Maia para resolver o problema e conter a rebelião.

Neste domingo, Temer deve tratar da tramitação da segunda denúncia na Câmara dos Deputados, que chegou à Casa na quinta-feira e deve ser lida nesta segunda, 25, no plenário. A partir daí, abre-se a contagem do prazo para apresentação da defesa de Temer na Comissão de Constituição e Justiça. Um dos pontos a serem debatidos é se haverá fatiamento ou não da denúncia, uma vez que, ao contrário da primeira denúncia, focada só em Temer, nesta peça da Procuradoria-Geral da República Moreira e Padilha também são acusados de formação e quadrilha e obstrução de Justiça.

Críticas. Às vésperas de a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer chegar à Câmara, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez na quarta-feira, 20, duras críticas ao peemedebista, e disse que ele faltou com a palavra e ameaçou com a retaliação do DEM em votações de interesse do governo. Mais cedo, em entrevista ao Estadão/Broadcast, Maia pediu que o Palácio do Planalto pare com o “fogo amigo” e seja mais respeitoso durante a tramitação da ação penal contra Temer, por organização criminosa e obstrução da Justiça.

A gota d'água para as duras críticas disparadas na noite da quarta-feira, 20, pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), contra o presidente Michel Temer e o PMDB foi o assédio de integrantes da cúpula peemedebista a um deputado do PSB de Pernambuco que negocia migração para o DEM, apurou o Estado/Broadcast com a cúpula dos democratas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.