REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

Na véspera da votação, Temer se encontra com indecisos e favoráveis à denúncia

Romaria em busca dos votos terminará com um jantar na casa do vice-presidente da Câmara com cerca de 80 deputados; durante o dia, Temer foi a dois almoços e se encontrou até com um deputado da oposição

Carla Araújo,Tânia Monteiro, Renan Truffi e Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2017 | 20h13

BRASÍLIA - Na véspera da votação no plenário da Câmara, o presidente Michel Temer faz uma romaria em busca de votos de parlamentares para derrubar a denúncia de corrupção passiva na quarta-feira, 2, na Câmara. Após reuniões com dezenas de deputados, Temer encerra o dia com um jantar na casa do vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG). Segundo o parlamentar, encontro terá a presença de aproximadamente 80 deputados. 

Na ofensiva da reta final, Temer compareceu a dois almoços, se encontrou à tarde com a bancada feminina, do Maranhão e 'do boi', e à noite, após o jantar na casa de Ramalho, ainda pode aparecer de última hora em um jantar na casa do líder do DEM, deputado Efraim Filho (DEM-PB).

Confiante da vitória, Temer se encontrou com indecisos e mesmo favoráveis à aceitação. A estratégia do governo é garantir o quórum de 342 parlamentares para que a votação aconteça na quarta-feira mesmo. Nesta ofensiva para garantir os votos, o presidente se encontrou mais cedo com o deputado Laudívio Carvalho (SD-MG), mas na saída deu declarações de que não havia mudado de opinião e continuaria a votar contra o presidente.

PLACAR Veja como votarão os deputados no plenário

Pela manhã, Temer se encontrou com parlamentares do Maranhão: José Reinaldo (PSB-MA), Aluisio Mendes (PODE), Hildo Rocha (PMDB), Junior Marreca (PEN)  e Juscelino Filho (DEM) . No grupo, o primeiro não quis responder ao Placar do Estado e o segundo é abertamente favorável. O deputado da oposição Rubens Pereira Junior (PCdoB), que é favorável à denúncia, também marcou presença no encontro, além do cearense  Aníbal Gomes (PMDB-CE). Em seguida, se reuniu com os deputados Paulinho da Força (SP) e Aureo Lídio Moreira (RJ), ambos indecisos do Solidariedade.

O primeiro almoço do presidente, nesta terça-feira, foi com a Frente Parlamentar Agropecuária, mais conhecida como 'bancada do boi'. O Estado mostrou em reportagem de domingo, 30, que 80% dos 213 deputados que não declararam publicamente como vão votar ao Placar do Estado pertecem a pelo menos uma das bancadas “BBB” (Boi, Bala e Bíblia), que se organizam para defender temas ligados ao agronegócio, à segurança pública e à religião. 

O segundo almoço em que Temer compareceu foi na casa do deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), que dava uma festa para comemorar seu aniversário. 

A agenda oficial indicou ainda, inicialmente, um encontro com outro favorável à denúncia, o deputado Jaime Martins (PSD-MG) às 17h. No entanto, em uma atualização, o encontro com Martins e também uma reunião com o governador de Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), foram retirados. O Planalto não soube informar o motivo da alteração.

No começo da noite, a bancada do Podemos foi recebida pelo presidente. Mais dois deputados do grupo se dizem favoráveis a denúncia: Dr. Sinval Malheiros (PODE-SP) e Aluisio Mendes (PODE-MA).

O último compromisso previsto era com o deputado Paulo Feijó (PR-RJ). Apesar disso, interlocutores do presidente confirmam que ele deve ir a um jantar na casa do deputado Fabio Ramalho (PMDB-MG), em mais um aceno aos parlamentares.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.