Na versão do prefeito, ainda não há negociação

Gestão é de continuidade e não precisa mudar, diz ele

Ricardo Brandt, O Estadao de S.Paulo

29 de outubro de 2008 | 00h00

"Não tive conversa de alteração de secretariado com ninguém. Não existe essa conversa." Dessa forma, o prefeito reeleito Gilberto Kassab (DEM) tentou pôr fim ontem às especulações e às insistentes perguntas de jornalistas sobre mudanças em suas secretarias para acomodar os novos aliados, como o PMDB. Sobre a pressão dos partidos, ele minimizou: "Vamos ser corretos com os aliados, a expectativa deles é de um bom governo."O prefeito, que esteve ontem na unidade de assistência médica ambulatorial (AMA) Santa Cecília, ao lado do secretário de Saúde, Januario Montone, afirmou que as alterações de secretários poderão ocorrer, mas não de forma generalizada. "Quando acontecerem, e se acontecerem, as alterações terão sob o meu comando uma consulta aos partidos aliados para que possam sugerir nomes quando eu não os tiver", garantiu. "Não muda nada, não sei por que essas perguntas, o governo é o mesmo, é um governo de continuidade, não tem por que mudar."Kassab negou também qualquer negociação para indicação de sua vice, Alda Marco Antonio (PMDB), para a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social. "Não tivemos nenhuma conversa nesse sentido", afirmou o prefeito.Ele explicou ainda que havia uma expectativa de saída do secretário de Transportes, Alexandre de Moraes, desde que ele assumiu a pasta. "Quando eu o convidei, ele pediu que fosse apenas até o final desse ano. Portanto, eu me senti na obrigação de consultá-lo e fiz o pedido para que ficasse. Depois de alguns dias refletindo, ele veio e confirmou a sua presença."O prefeito ressaltou que eventuais mudanças acontecerão. "As alterações que poderão acontecer daqui para a frente são as mesmas que aconteceram nos últimos dois anos. Tivemos cinco ou seis alterações nos últimos meses", lembrou.Segundo Kassab, a alteração de todo o secretariado poderia ser reprovada por quem votou nele. "O eleitor que aprovou essa equipe não entenderia."FORA DA PREFEITURAO coordenador do programa de governo de Kassab, Guilherme Afif Domingos, que teve o nome cotado para integrar o novo governo, negou que trocará de cargo. "Não tem nada disso", afirmou Afif, que reassumiu ontem a Secretaria de Estado do Trabalho, no governo José Serra (PSDB). Estrategicamente, o posto no governo estadual tem maior valia para Afif, que não esconde a pretensão de concorrer como candidato majoritário em 2010. "Meu nome está disponível, está na mesa para as negociações desde a convenção do partido como candidato majoritário. Posso ser candidato a governador, vice ou senador", explicou Afif. FRASESGilberto KassabPrefeito reeleito"Não tive conversa de alteração de secretariado com ninguém porque não existe essa conversa""Quando acontecerem e se acontecerem, as alterações terão sob o meu comando uma consulta aos partidos aliados para que possam sugerir nomes quando eu não os tiver""O eleitor que aprovou essa equipe, não entenderia"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.