Na TV, Dilma vai defender ajuste fiscal e combate à corrupção

Presidente vai aproveitar pronunciamento em rede nacional, no Dia Internacional da Mulher, para tentar reverter agenda negativa

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

05 de março de 2015 | 12h12

BRASÍLIA - Assumindo o protagonismo da "batalha da comunicação" para diminuir a rejeição ao governo, reverter a maré negativa e defender a posição do Palácio do Planalto perante a opinião pública, a presidente Dilma Rousseff grava na manhã desta quinta-feira, 5, no Palácio da Alvorada um pronunciamento para ser veiculado em rede nacional de rádio e TV neste domingo, 8. O mote da fala é o Dia Internacional da Mulher.

No pronunciamento, a presidente vai exaltar as políticas sociais dirigidas para o público feminino, como a implantação da Casa da Mulher Brasileira, espaço que reúne os principais serviços para o atendimento integral de vítimas de violência, como delegacias especializadas, defensorias e promotorias. Considerado uma das principais vitrines do segundo governo da presidente, o programa já teve inaugurada a primeira unidade da Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande, em fevereiro.

Segundo o Estado apurou, a presidente deve aproveitar o discurso em rede nacional para defender um pacote anticorrupção, que inclui propostas que endurecem as penas de funcionários públicos que tiverem enriquecimento ilícito. Outra medida prevê o confisco de bens oriundos da corrupção.

Dilma também deve sair em defesa do ajuste fiscal elaborado pela equipe econômica justificando a importância das medidas para a população e enfatizar a mensagem de que o Brasil tem fundamentos econômicos sólidos no enfrentamento da crise.

Expediente. O Dia Internacional da Mulher já foi usado para pronunciamentos da presidente em 2012, 2013 e 2014. Este será o 21º pronunciamento de Dilma em quatro anos e três meses de governo e o primeiro dela em seu segundo mandato.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.