Na TV, Dilma e Serra exploram trechos de debate

O programa eleitoral dos candidatos à Presidência Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) exibiu trechos do debate de ontem na Rede TV! e manteve a linha de comparações críticas entre os dois presidenciáveis. Enquanto o programa de Dilma explorou as denúncias envolvendo o ex-diretor da Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa) Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, o de Serra voltou a citar a ligação de Dilma com José Dirceu e Erenice Guerra, ex-ministros da Casa Civil, e destacou a alta nas ações da Petrobras depois da subida do tucano nas pesquisas de intenção de voto.

ANNE WARTH, Agência Estado

18 de outubro de 2010 | 14h49

"Paulo Preto foi acusado por líderes do próprio PSDB de desviar R$ 4 milhões doados para um suposto caixa 2 da campanha de Serra. No último dia 11, Serra negou o sumiço do dinheiro e garantiu que nem conhecia Paulo Preto. O acusado não gostou e pela imprensa mandou um recado a Serra: não se larga um líder ferido na estrada a troco de nada. Serra entendeu a mensagem e no dia seguinte mudou de opinião. Afirmou que conhecia Paulo Preto e que ele era totalmente inocente", afirmou o ator que faz o programa de Dilma.

"Afinal, quem é o Serra verdadeiro: o do dia 11, que disse que não conhece Paulo Preto, ou o do dia 12, que falou que conhecia Paulo Petro e que ele era inocente?", questionou uma atriz.

O programa exibiu cenas de Dilma no debate de ontem, com destaque para as falas sobre privatizações e segurança, uma gravação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outra com o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), pedindo votos para a petista.

"O Brasil que ficou para trás era o País da desigualdade, do arrocho salarial, do desemprego. O novo Brasil que estamos construindo distribui renda, cria mais de 14 milhões de empregos e eleva a maioria de sua população para a classe média. Está na hora de você escolher o Brasil que você quer. O Brasil capaz de tirar 28 milhões de brasileiros da miséria e levar 36 milhões para a classe média ou o Brasil que fechava os olhos para a pobreza. O Brasil que dava errado ou o Brasil que está dando certo e que Dilma vai continuar", afirmou Lula.

Mercado

O programa de Serra explorou a alta nas ações da Petrobras depois que as pesquisas de intenção de voto mostraram crescimento do tucano. "Saiu pesquisa nova, mostrando o Serra subindo e a eleição empatada. Por Brasil, a subida de Serra na pesquisa já trouxe bom resultado. As ações da Petrobras se valorizaram depois de semanas de queda", afirmou um ator. Ele destacou ainda que, em reportagem publicada pelo site da revista Exame, o candidato é visto pelo mercado como melhor administrador público.

O programa de Serra usou a ideia da campanha de Dilma para fazer comparações entre os dois candidatos. No lugar de "coisa de rico e coisa de pobre", o programa tucano utilizou o mesmo recurso apresentando vários itens como sendo "coisa do Serra e coisa de Dilma". A Serra, foram atribuídos os genéricos, políticos de ficha limpa, hospitais e seguro-desemprego; a Dilma, Erenice, escândalos, caos aéreo e José Dirceu. Diversos trechos do debate foram exibidos durante o programa, com o tucano falando sobre privatizações, saúde e ensino técnico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.