Na TV, Ciro Gomes responde acusações e defende irmão

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-SP) usou hoje parte do horário eleitoral no rádio destinado ao irmão dele, Cid Gomes (PSB), que tenta reeleger-se governador do Ceará, para rebater críticas desferidas por adversários. "Isso é coisa de marginais de quinta categoria", disparou Ciro, referindo-se às denúncias feitas contra ele e o irmão, que foram publicadas pela revista Veja desta semana.

CARMEN POMPEU, Agência Estado

24 de setembro de 2010 | 14h43

O conteúdo da reportagem denuncia um suposto envolvimento de Ciro e Cid em um esquema que teria desviado R$ 300 milhões dos cofres públicos. Os irmãos Gomes acusam aliados de Lúcio Alcântara, candidato ao governo pelo PR, de armarem denúncias contra eles.

No rádio, Ciro disse que a reportagem é uma "armação" e que "não merecia nem resposta". Ele destacou que em 32 anos de vida pública, nunca se envolveu "em falcatruas, sujeira ou corrupção". Alertou o eleitorado para que fique atento nesta reta final da campanha. E finalizou pedindo votos para Cid Gomes e para a candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT).

Na reta da final da campanha, a disputa pelo governo cearense ganhou um tom bem mais acirrado com troca de acusações entre os dois principais candidatos: Cid Gomes e Lúcio Alcântara. Ontem à noite, durante debate promovido pela Rede TV!, os dois trocaram insultos. O clima esquentou quando Lúcio Alcântara perguntou quem pagou uma viagem de jatinho que Cid fez com a família aos Estados Unidos .

O vídeo com imagens da viagem foi parar na internet. Nele, Maria Célia, mulher de Cid, filma o grupo dentro de uma limusine, passeando por Nova York. "Muita boa a viagem. Gripe muita, compra muita, coisa boa. Só a family", diz Maria Célia. Em outro momento, o vídeo mostra a família dentro de um jatinho.

No debate da Rede TV!, Cid disse que não tinha nenhum respeito por Lúcio e o acusou de montar "um covil de ardilosos" para armar denúncias contra ele. Cid disse que nunca fez viagem usando dinheiro público e que nunca fez apropriação indébita. "Se estiver procurando isso, procure na sua casa, que vai ter mais facilidade", acrescentou.

Cid Gomes também acusou o setor jurídico do adversário de ligação com o advogado Paulo Goyaz, autor de outro vídeo, divulgado também nesta semana pela revista Época, na internet. Nele, o empresário Raimundo Morais Filho aparece revelando como funcionaria o suposto esquema de fraude em obras com recursos do Ministério da Integração Nacional, quando Ciro Gomes era ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.