Na semana da eleição, ministros entregam obras em SP

Na semana da eleição, ministros entregam obras em SP

O ministro Ricardo Berzoini, da Secretaria de Relações Institucionais, entregou 338 casas do Minha Casa, Minha Vida em Araraquara

JOSÉ MARIA TOMAZELA E VALTER STROZZI, ESPECIAL PARA O ESTADO, Estadão Conteúdo

30 de setembro de 2014 | 18h17

Na semana das eleições, ministros do governo da presidente Dilma Roussef, candidata à reeleição pelo PT, cumprem agenda de entrega de obras no Estado de São Paulo, maior colégio eleitoral do País. O ministro Ricardo Berzoini, da Secretaria de Relações Institucionais, esteve nesta terça-feira,30, em Araraquara, região norte do Estado, para entregar 338 casas do programa Minha Casa Minha Vida, uma das marcas da gestão petista.

Sem citar Dilma, Berzoini destacou o "resgate histórico" da política habitacional. "O Brasil até 2003 não tinha um programa habitacional assim. Como estamos em eleições, não posso falar nem o nome do programa, mas já foram entregues milhões de moradias", afirmou. Ao lado do prefeito Marcelo Barbieri (PMDB), Berzoini negou o caráter político do evento que reuniu cerca de mil pessoas, segundo a prefeitura. "É administrativo, não tem nenhuma conotação eleitoral, até porque a lei eleitoral veda."

Nesta quarta-feira, 01, o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, faz entrega simbólica das obras de duplicação da Serra do Cafezal, na rodovia Régis Bittencourt, que liga São Paulo e Curitiba. Acompanhado por diretores da concessionária e pelo diretor geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, o ministro vai percorrer os trechos já duplicados entre o km 363 e o km 347 da rodovia, no município de Miracatu. Reivindicadas há mais de trinta anos, as obras na serra foram iniciadas em 2010, mas só ficam totalmente prontas em 2017. Ainda falta a duplicação de nove quilômetros.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, era esperado hoje em Rio Claro, também no interior paulista, mas a visita foi cancelada de última hora. A assessoria do ministro não informou o motivo. Chioro assinaria termo de compromisso para um curso de medicina no município, como parte das ações do programa Mais Médicos, do governo federal.

O programa é uma das principais bandeiras do governo Dilma e do candidato do PT ao governo paulista, o ex-ministro Alexandre Padilha. O governo federal autorizou 39 cursos de medicina no País, sendo 14 no Estado de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.