Na saída, ACM arrasta tucanos consigo. O PSDB agradece

Mesmo obrigado a abrir mão do mandato parlamentar para fugir dacassação, o ex-senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) ainda teve forças para sair do Congresso provocando baixas notucanato.Às vésperas da renúncia, ACM arrastou consigo nada menos que dois deputados federais, dois prefeitos e umex-prefeito que, forçados a optar entre o PSDB e a parceria com ACM na Bahia, não tiveram dúvida: ficaram com o ?carlismo?.Quem pressionou por uma definição do grupo foi a Executiva Nacional do PSDB que, diante da renitência dos baianos, chegou aabrir um processo de expulsão como última cartada para tentar enquadrar de vez os rebeldes.O desfecho foi um alívio para olíder do PSDB na Câmara, Jutahy Júnior (BA), que não suportava mais dar explicações aos eleitores sobre a incoerência dogrupo que, em vez de combater os adversários carlistas, aderia aos carlismo.Encabeçaram a lista da degola os deputados federais João Leão e Mário Negromonte, seguidos pelos prefeitos de Ilhéus, JabesRibeiro, de Lauro de Freitas, Marcelo Abreu, além de seu antecessor na prefeitura e hoje secretário do Trabalho do governo daBahia, Roberto Muniz.Eles ainda propuseram continuar no PSDB e na base de apoio ao Palácio do Planalto. A idéia era votarcom o governo federal, mantendo a ligação com ACM na Bahia e os cargos que têm no governo estadual.Com a negativa dopartido, os quatro resolveram seguir o estilo do cacique baiano e deixar o ninho, para evitar a expulsão.?Entre o PSDB e os cargos que eles tinham no governo da Bahia e na prefeitura de Salvador, eles ficaram com os cargos?,resume Jutahy Júnior.Na avaliação do líder, o grande problema da presença ?dúbia? dos carlistas no PSDB é que isto dificultava ocrescimento do partido no Estado.?Como toda a briga local é contra o carlismo, os tucanos da Bahia não podiam fazer nenhumareunião estratégica na presença de João Leão ou Negromonte, temerosos de que as informações fossem vazadas para osinimigos políticos?, completa Jutahy.O líder está convencido de que toda a publicidade do PSDB na campanha municipal acabou prejudicada, ?e muito?, pelasparcerias com ACM.?Era inexplicável e incompreensível que o PSDB de Itabuna aparecesse em todos os outdoors aliado ao PT,enquanto no município vizinho de Ilhéus os tucanos posavam ao lado de ACM?, diz Jutahy, ao lembrar que os questionamentosindignados dos eleitores repetiam-se em cada comício.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.