Na rádio, Dilma diz que não vai tolerar invasões de terra

A candidata declarou em entrevista à Educadora Jovem Pan que invasões são ilegalidade e que isto não será permitido

João Domingos, de O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2010 | 17h04

A presidenciável do PT, Dilma Rousseff, afirmou nesta terça-feira, 22, numa entrevista à Rádio Educadora Jovem Pan, de Uberlândia, que não vai tolerar ações ilegais do MST ou dos movimentos sociais, como invasão de terras, de centros de pesquisas e de prédios públicos. "Ninguém que governe um País, um Estado ou um município pode ser complacente com a ilegalidade. Invasão de terras, de centro de pesquisa, de prédios públicos é ilegalidade e ilegalidade não é permitida. Quero deixar isso muito claro", disse Dilma Rousseff.

 

Dilma acrescentou que, no governo Lula, houve uma valorização muito grande da agricultura familiar, hoje, segundo ela, responsável por 40% da produção agrícola do País. Dilma afirmou que o governo tem uma linha de crédito para a venda de 60 mil tratores pequenos e que 25 mil já estão nas mãos dos agricultores. A candidata elogiou o agronegócio, segundo ela, "responsável por uma agricultura de alta qualidade, produtiva, que gera riqueza para o País".

 

A candidata afirmou ainda que vai se aconselhar com o presidente Lula toda vez que for necessário e que ele, certamente, terá influência em seu governo, embora não acredite que queira ser ministro. Ela também anunciou um plano de combate ao tráfico e consumo de crack, droga que considera letal.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições2010DilmaroussefftolerarMST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.