Na primeira página premiada, informação e emoção

Uma primeira página criada para ser emocionante, mas onde a palavra "penta" estava proibida de aparecer - embora a informação principal contida nela fosse a conquista do quinto campeonato mundial de futebol pela seleção brasileira, em junho, no Japão - deu ao jornalista Sandro Vaia, diretor de redação do jornal O Estado de S. Paulo, o Prêmio Esso 2002, na categoria Especial de Primeira Página. A premiação foi anunciada na madrugada de hoje, no Rio de Janeiro.Na página premiada, publicada no dia 1º de julho, uma segunda-feira, a manchete escrita por Sandro, "O maior campeão do mundo", está sobre uma foto de autoria de Alaor Filho, que mostra o lateral Cafu, capitão da equipe brasileira, largo sorriso no rosto, em pé sobre um pódio improvisado, erguendo a taça da Fifa. Ao seu redor, eufóricos, aparecem os outros jogadores, o técnico Felipe Scolari e até Pelé, em segundo plano. Uma chuva de papel colorido e uma nuvem de gelo seco fazem a ligação da imagem com o título. A solução para evidenciar a quinta Copa do Mundo vencida pela seleção brasileira foi engenhosa: cinco estrelas douradas, alinhadas acima da manchete.Sandro Vaia aplicou à página da vitória na Copa o mesmo critério que norteia a elaboração das primeiras páginas do Estado a cada dia, segundo seu conceito minimalista: "uma boa foto, um título, informação." O diretor de redação conta que gostaria "de empregar soluções mais ousadas na capa do jornal, fora do eixo foto-manchete; a manchete que nem todos os dias é óbvia". Para ele, um modelo interessante é o das primeiras páginas que incorporam elementos diferenciais de valor como reportagens fortes e de bom texto, atraentes para o leitor.A combinação da emoção com a estética também é um referencial de Sandro Vaia na construção de determinadas primeiras páginas do jornal. O caso da estudante Suzane von Richthofen (que planejou e participou do assassinato dos pais) é emblemático, segundo o diretor de redação do Estado. "Na edição em que foi publicada a declaração da garota afirmando que havia matado por amor ao namorado, esse depoimento estava associao à primeira foto mostrando o rosto rosto de traços delicados de Suzane, semi-encoberto pelos cabelos e pela sombra."Italiano de Mantova, radicado no Brasil há 48 anos, Sandro Angelo Vaia é diretor de redação do Estado desde 22 de setembro de 2000. Em 1965, depois de uma experiência na imprensa de Jundiaí durante a qual, como conta, fez por um tempo um jornal inteiro, chegou ao Jornal da Tarde, onde foi repórter, editor de diversas seções e editor chefe. Sandro Vaia na redação do Estado: "uma boa foto, um título, informação"Afastou-se por quatro anos para cuidar do desenvolvimento de uma revista semanal, a Afinal. Voltou ao Grupo Estado no fim dos anos 80 a convite de Rodrigo Mesquita para integrar a equipe responsável pela reestruturação e modernização da Agência Estado.A capa do Prêmio Esso não é sua primeira experiência bem sucedida na transformação do sentimento produzido pelo esporte em linguagem gráfica estampada na capa de um jornal. Em 1982, quando a seleção brasileira perdeu a Copa da Espanha, Sandro - casado, pai de uma filha, torcedor apaixonado do Palmeiras -, então no Jornal da Tarde, foi um dos autores da primeira página-pôster: um garoto chorando, lágrimas rolando pelo rosto, vestindo a camisa da seleção, no estádio de Sarriá. A imagem do Brasil naquele dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.