Na primeira entrevista, Serra rebate declaração de Lula

O prefeito eleito de São Paulo, José Serra (PSDB), disse hoje, na primeira entrevista coletiva após o término da apuração, que sua vitória significa que "a confiança venceu o medo" nesta eleição. O tucano rebateu a frase dita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, logo após ter derrotado Serra na eleição presidencial de 2002. Ontem, o Brasil votou para mudar. A esperança venceu o medo e o eleitorado decidiu por um novo caminho para o país", afirmou Lula, em discurso em São Paulo, no dia 28 de outubro de 2002.O tucano afirmou que quando foi derrotado na eleição presidencial encarou o resultado das urnas com altivez. Agora, que venceu a eleição contra a petista Marta Suplicy, pregou humildade. "O PSDB foi altivo na derrota de 2002. E vai saber ser humilde na vitória de 2004", comentou.Para Serra, o eleitor paulistano votou pensando nos problemas da cidade, mas também deu o seu voto de confiança na maneira republicana que os tucanos têm de governar. "O PSDB é um partido comprometido com a democracia e não mistura interesses partidários com interesses do governo."O prefeito eleito prometeu que ao término de seu mandato - ele reiterou que ficará os quatro anos à frente do comando da cidade - São Paulo estará melhor do que hoje. "São Paulo tem sérios problemas e temos de fazer a cidade voltar a ser a terra de oportunidades que abrigou os nossos pais." Os pais do tucano são imigrantes italianos e vieram para São Paulo em buscar de novos horizontes.Transição Serra mandou hoje um recado direto ao PT. Ele disse que espera governar o município "sem a oposição (petista) do quanto pior melhor". Serra disse também esperar que o PT siga o mesmo preceito de seu partido no plano nacional, ou seja, defender as causas de interesse da sociedade independente de quem está no comando da administração.Serra disse que foi eleito para servir a população e não para mandar. "Serei um servidor da população da minha cidade", lembrando as maneiras que o PSDB tem de administrar, nas figuras de Mário Covas, Franco Montoro, José Richa e Fernando Henrique Cardoso. Ao falar que espera um tratamento respeitável por parte do PT, Serra defendeu que a prefeita Marta Suplicy abra seu governo para uma equipe de transição. "A transição é uma oferta que cabe à Prefeitura fazer. Se a ponte do outro não vier (da prefeita Marta Suplicy), eu mesmo farei, mas espero que ela tome a iniciativa", lembrando que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tomou a mesma atitude quando Lula foi eleito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.