Na preliminar, exercício e elogios para a acupuntura

Bem-humorado, o presidente Lula recebeu o Estado disposto a puxar um dedo de prosa. Numa espécie de aquecimento, discorreu sobre seu assunto preferido ? futebol ?, gabou-se da forma física e, de quebra, elogiou as agulhas mágicas do acupunturista Gu Hanghu, que o curaram da bursite no braço direito."Antes de eu tomar posse, em 2002, o médico queria marcar operação, mas eu não quis", contou. "Tomei uma decisão: não ia ser lutador de boxe, não ia jogar tênis. Por que, então, tinha de operar a bursite? Graças a Deus, está tudo bem." Lula disse que nunca tinha acreditado em acupuntura, mas hoje deposita toda sua crença na medicina chinesa.Ele contou que anda "todo santo dia". "Faço abdominal, faço coxa, faço perna, faço braço, senão não agüento", confessou. E deu a receita que o levou a emagrecer 15 quilos há mais de um ano, sem voltar a engordar: "É uma hora de esteira e meia hora de exercício."Durante uma hora e quarenta minutos de entrevista, na quinta-feira, sentado numa cadeira vermelha, diante de um imenso mapa-múndi na Sala Situação do Planalto, ele pareceu descontraído a maior parte do tempo. Mas mostrou desconforto quando questionado sobre o mensalão, o toma-lá-dá-cá com o Congresso e a crise aérea.

Entrevista com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.