Na posse, Dilma agradecerá 'brasileiros e brasileiras'

No discurso de posse, marcado para hoje, às 14h30, no Congresso Nacional, a presidente Dilma Rousseff vai reafirmar os compromissos com a estabilidade econômica, a responsabilidade fiscal e a área social, além de destacar os gêneros masculino e feminino. Quando fizer um agradecimento, dirá que o faz às brasileiras e aos brasileiros. Dirá, por exemplo, que foi eleita "presidenta" devido à confiança demonstrada no governo por "eleitoras" e "eleitores".

AE, Agência Estado

01 de janeiro de 2011 | 11h16

Trata-se de uma iniciativa que ela pretende fixar na mente dos brasileiros - e até orientou seus assessores a agirem assim e a chamá-la só de "presidenta". O recurso não é uma novidade: foi usado pelo então presidente José Sarney (1985/1990), que iniciava assim seus discursos: "brasileiras e brasileiros".

No primeiro pronunciamento oficial, a presidente eleita reforçará também o compromisso com a erradicação da miséria e o combate à pobreza, a ampliação dos programas sociais, como o Bolsa-Família e o Minha Casa, Minha Vida. A meta, dirá, é manter o crescimento da economia e gerar mais empregos.

Ela falará ainda em melhorar a educação, o atendimento à saúde, a segurança pública, com especial atenção para o combate ao crack, e em inserir o Brasil cada vez mais no cenário internacional. No total, a fala no Congresso deverá ter entre 30 e 35 minutos, de acordo com informação de assessores que prepararam o texto. É no Congresso que o presidente eleito presta o juramento de servir ao País. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmapossediscursogênero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.