Na Nicarágua, Lula lembra passado revolucionário do país

Vários acordos serão firmados na primeira visita de um presidente brasileiro ao país.

Denize Bacoccina, BBC

08 de agosto de 2007 | 04h58

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um discurso emotivo e saudosista na chegada a Manágua, nesta terça-feira à noite, para a primeira visita de Estado de um presidente brasileiro à Nicarágua."É uma emoção diferente regressar à Nicarágua como presidente do Brasil. Aqui estive em 19 de julho de 1980 participando do primeiro aniversário da revolução sandinista. Aqui conheci Fidel Castro pela primeira vez", afirmou Lula na saudação de chegada, ainda na base aérea, ao ser recebido pelo presidente Daniel Ortega, líder sandinista e ex-presidente do país que foi reconduzido ao cargo nas eleições do ano passado."Vivi todo o trabalho que o presidente Daniel Ortega fez naquele momento para consolidar a Nicarágua como país soberano", afirmou o presidente.Lula disse que depois deste primeiro encontro reuniu-se com Ortega dezenas de vezes, em diferentes partes do mundo, e que estiveram juntos em encontros com Fidel Castro, Yasser Arafat e Muammar Khadafi."Regresso aqui para fazer uma visita de Estado a um companheiro que regressa à presidência da Nicarágua. Visito a Nicarágua com a disposição de afirmar ao presidente Daniel Ortega que o Brasil está disposto a concluir tantos acordos quantos forem necessários para que possamos contribuir para o crescimento, o desenvolvimento econômico e a justiça social aqui na Nicarágua", afirmou.Vários acordos devem ser firmados durante a visita, de menos de 24 horas, mas alguns deles, como um de energia e um de pesca, ainda não estavam totalmente fechados até a noite de terça-feira.Lula deixou o aeroporto em um carro conduzido pelo próprio Ortega. A agenda do presidente começou com um jantar privado entre Lula, Ortega e as primeiras-damas, Marisa Letícia e Rosario Murillo, num salão reservado no próprio hotel onde o presidente está hospedado.Nesta quarta-feira, os dois presidentes têm uma reunião de trabalho pela manhã, participam de um almoço com empresários brasileiros interessados em investir no país e, à tarde, assinam os atos de cooperação.Segundo integrantes do governo, a visita tem um caráter mais político e, embora inclua um fórum empresarial, o potencial de negócios com o país ainda é considerado pequeno. Lula deveria ter visitado a Nicarágua na posse de Ortega, em janeiro, mas acabou cancelando a viagem na última hora, afirmando que precisava descansar depois de assumir o segundo mandato.No fim da tarde desta quarta-feira, Lula embarca para Kingston, na Jamaica, quarto país a ser visitado no roteiro presidencial pela região.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
lulanicaráguaortegadiplomacia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.