Na Itália, Lula defende candidatura de Dilma

Presidente disse à imprensa italiana que ministra 'tem um forte potencial'.

Valquíria Rey, BBC

13 de novembro de 2008 | 11h03

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, durante sua viagem oficial à Itália, que a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, é a candidata que tem em mente para disputar as eleições presidenciais de 2010 pelo PT.Em entrevista coletiva a cinco jornais italianos, Lula esclareceu que será a primeira eleição desde 1989 em que ele não será candidato, mas que está empenhado em participar da escolha de seu sucessor dentro do PT."Depois de mim, quero que o Brasil seja governado por uma mulher. E a pessoa certa é Dilma Rousseff", disse Lula, segundo o La Repubblica. "Proporei ao PT de indicá-la como candidata". "Mas vencer (a eleição) não será fácil. Na política os cenários mudam rapidamente e ainda faltam dois anos".De acordo com o Corriere Della Sera, Lula disse: "Na verdade já tenho um nome em mente: o de Dilma Rousseff, ministra-chefe da Casa Civil. Ainda não falei com ela, mas acredito que possa ser uma boa candidata". Reforma da ONUEntre os assuntos destacados pelos jornais italianos está a posição de Lula sobre a necessidade de reforma da ONU. "Mais paz no mundo, só reformando a ONU", diz o título da matéria que o jornal Il Messaggero fez sobre a entrevista do presidente. "Assim como está (a ONU) não pode ter um papel e respeito", afirma Lula no jornal.Os jornais Corriere Della Sera e La Repubblica também destacaram o pedido que Lula deverá fazer ao presidente eleito americano Barack Obama propondo o final do embargo a Cuba. Para Lula, segundo os jornais, não haveria sentido em manter esse bloqueio, cujo fim poderia ser o primeiro passo para uma transição na ilha. De acordo com ele, Obama tem a força e a autoridade política para mudar as relações entre Cuba e os Estados Unidos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.