Na hora da sessão, futebol na Vila

Deputados trocam plenário pela Baixada

O Estadao de S.Paulo

29 de setembro de 2007 | 00h00

O último dia 14 foi inusitado para a Assembléia Legislativa de São Paulo. Era sexta-feira, dia normal de expediente e sessão, mas o plenário estava vazio e só 4 dos 57 inscritos para discursar apareceram. Enquanto isso, no estádio da Vila Belmiro, do Santos Futebol Clube, havia mais deputados e assessores - 18 ao todo. Driblaram o dia de trabalho para uma confraternização no litoral, que reuniu parlamentares, ex-atletas e dirigentes do clube.Cinco deputados desceram a serra, mas só quatro entraram em campo: Donisete Braga (PT), primeiro-secretário da Casa; Waldir Agnello (PTB), primeiro vice-presidente; Ênio Tatto (PT), ex-líder da bancada petista, e Luciano Batista (PSB), presidente da Comissão de Esporte e Turismo. João Barbosa (DEM) foi ao gramado, posou para fotos, mas não jogou. O resto do time era de assessores.O grupo alega que o convite partiu do Santos, em retribuição a uma homenagem feita pela Assembléia, pelos 95 anos do clube. No papel, porém, sexta-feira era dia de trabalho. "A Assembléia realizará, nos dias úteis, exceto aos sábados, uma sessão ordinária, a partir das 14h30 e término às 19 horas", diz o artigo 99 do regimento. A sessão do dia 14 foi encerrada às 15h20.Todos os deputados afirmaram ter ido à confraternização com carros particulares. Por dia, cada um deles custa aos contribuintes R$ 487,80. Tatto e Batista nem sequer foram à Assembléia no dia do jogo.Tatto disse que fez reunião na sua base eleitoral de manhã e Agnello, que atendeu eleitores em seu gabinete. Batista não teve compromissos. Braga garantiu que só saiu da Assembléia rumo ao estádio ao fim da sessão."Somos 94 deputados. Não vieram nem 10. Não vejo problema nisso. Até porque tivemos um convite para irmos até lá", defendeu Batista, ex-treinador do jogador Robinho no início da sua carreira e morador de São Vicente. O seu time de parlamentares, porém, não teve o desempenho do ex-pupilo: depois de uma hora, o placar foi encerrado com a goleada de 8 a 0 para o time da casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.