Bruna Pozelli/Divulgação
Bruna Pozelli/Divulgação

Na estreia, ‘Lado D’ discute os desafios e futuro do SUS; assista

Primeiro episódio do programa da parceria entre ‘Estadão’ e CLP foi ao ar nesta terça; série promove diálogo plural

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2021 | 05h00
Atualizado 16 de junho de 2021 | 11h47

O primeiro episódio do programa Lado D, apresentado pelo cientista político Luiz Felipe d’Avila, estreou nesta terça-feira, 15, com um panorama dos desafios e das virtudes do Sistema Único de Saúde, o SUS. Feito em parceria entre o Centro de Liderança Pública (CLP) e o Estadão, o Lado D terá debates semanais entre influenciadores e personalidades com origens e pontos de vista distintos, num diálogo plural e profundo sobre temas que definem os rumos do País.

Para discutir a trajetória do SUS desde a utopia de sua concepção, na Constituição de 1988, até seu papel fundamental no combate à pandemia do coronavírus, a primeira edição do programa teve a participação do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e da médica Thelma Assis, que passou mais de dez anos da carreira no SUS e foi vencedora da penúltima edição do BBB, da TV Globo.

Thelma atuou como médica em diversos setores de atendimento do sistema público, e contou o que aprendeu desde o início da carreira como médica da família – um serviço na base do atendimento público de saúde – até o trabalho em centros cirúrgicos, em hospitais de alta complexidade. “Na atenção básica você consegue ter um trabalho de prevenção das doenças, se for feito da forma certa e tiver uma administração que otimize isso”, lembrou a médica. Ela disse que esse trabalho é essencial para não sobrecarregar os hospitais.

Mandetta destacou as dificuldades no início da pandemia, como a escassez de equipamentos de proteção individual (EPIs) e a necessidade de ampliação de leitos hospitalares. Para o futuro, defendeu melhorias na gestão e no financiamento do sistema de saúde. “O SUS se fragmentou”, sentenciou. 

Mediado por d’Avila, fundador do CLP, o debate teve ainda participações especiais da médica intensivista Amanda Meirelles, que atua na linha de frente do combate à covid-19, e da repórter Fabiana Cambricoli, especialista em Saúde do Estadão

Os episódios serão semanais, sempre às terças-feiras e com duração máxima de 20 minutos. As gravações, realizadas de forma presencial, respeitaram recomendações de segurança sanitária em meio à pandemia, incluindo o distanciamento entre os participantes. Os episódios serão veiculados nas plataformas digitais do CLP e do Estadão

Veja as datas de cada episódio do programa 'Lado D'

  • 15/06: SUS, com Luiz Henrique Mandetta, médico e ex-ministro da Saúde, e Thelma Assis, médica anestesiologista e comunicadora;
  • 22/06: Racismo, com Preto Zezé, presidente nacional da CUFA, e João Pedrosa, professor e apresentador;
  • 29/06: Equidade de gênero, com Adriana Araújo, jornalista e escritora, e Suzana Pires, atriz e autora;
  • 06/07: Violência e impunidade, com Claudia Moraes, tenente-coronel da PMERJ, e Gizelly Bicalho, advogada criminalista;
  • 13/07: Desigualdade social, com Evandro Fióti, músico e empresário, e Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva;
  • 20/07: Democracia nas redes, com Antonio Tabet, ator, apresentador e roteirista, e Fábio Rabin, comediante e ator;
  • 27/07: Sociedade, com Eliane Dias, empresária e advogada, e Tico Santa Cruz, músico, escritor, compositor, vocalista a banda Detonautas;
  • 03/08: Educação, com Clóvis de Barros Filho, professor, escritor e palestrante, e Priscila Cruz, presidente executiva do Todos Pela Educação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.