Efe
Efe

Na China, Lula descarta 3º mandato e diz que Dilma está bem

Presidente diz ainda que os médicos que atenderam a ministra afirmaram que 'não há motivo para preocupação'

Agências internacionais,

20 de maio de 2009 | 05h06

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reiterou nesta quarta-feira, 20, que não se candidatará a um terceiro mandato e comentou o estado de saúde da ministra da Casa Cilvil, Dilma Rousseff, internada no Hospital Sírio Libanês na madrugada de terça-feira com fortes dores nas pernas devido a uma miopatia (afecção muscular).

 

Veja também:

link Dores sentidas por Dilma são comuns no tratamento

link Situação de Dilma é estável, indica boletim

 

Lula afirmou que Dilma, provável candidata do governo à Presidência em 2010, se encontra em bom estado de saúde. "Eu não discuto esta hipótese (terceiro mandato) Primeiro, porque não haverá um terceiro mandato, e segundo, porque ela está bem", respondeu Lula, antes de deixar Pequim, ao ser perguntado sobre o que aconteceria caso Dilma não pudesse ser confirmada como candidata.

 

O presidente informou que tinha conversado com Dilma às 9 horas (de Brasília) e que seu problema foi "uma reação à quimioterapia". Lula disse ainda que os médicos que a atenderam lhe informaram que "não há motivo para preocupação". 

 

Segundo reportagem do Estado na edição desta quarta, Lula estaria preocupado com a ministra e pedirá a ela que diminua o ritmo de suas atividades para cuidar da saúde. A agenda menos sobrecarregada, porém, não significa licença. Embora a internação de Dilma no Hospital Sírio Libanês, na madrugada de ontem, tenha reforçado o cenário de incerteza que cerca sua candidatura ao Palácio do Planalto, em 2010, nem Lula nem o PT trabalham com um plano B.

 

Lula telefonou para Dilma duas vezes, de Pequim, mas não conseguiu falar com ela. Conversou, no entanto, com o cardiologista Roberto Kalil, chefe da equipe médica que trata do câncer linfático da ministra. Está convencido de que sua favorita para a corrida presidencial poderá continuar no páreo, apesar do nervosismo do PMDB, o principal parceiro da coalizão.

Desde que anunciou estar em tratamento, há 25 dias, Dilma cancelou sete compromissos - incluindo a participação prevista para hoje no Congresso Brasileiro de Radiodifusão e mais um balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), marcado para amanhã, em Fortaleza (CE).

 

Última etapa da viagem
 

O presidente Lula partiu nesta quarta-feira rumo à Turquia, última etapa do giro que iniciou no final de semana passado na Arábia Saudita, informou a agência estatal China Nova.
 
No terceiro e último dia de sua visita à China, Lula visitou a Academia Chinesa de Tecnologia espacial, a qual leva adiante um programa sino-brasileiro de observação de satélites da Terra.
 

 

Ambos os países firmaram na terça-feira, 19, acordos que consolidam os intercâmbios comerciais, entre os quais um empréstimo de 10 bilhões de dólares da China à Petrobrás, que inclui a entrega de petróleo cru à Pequim.
 

 

(Com Vera Rosa e Tânia Monteiro, de O Estado de S. Paulo)

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.