Na capital, 898 acordos em mutirão do Tribunal de Justiça

O Tribunal de Justiça de São Paulo concluiu na segunda-feira o balanço do Dia Nacional da Conciliação, mutirão coordenado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para desafogar o Judiciário e realizado na sexta-feira em todo o País. No Estado, o maior em volume de processos em todo o Brasil, 3.719 audiências das 5.670 marcadas efetivamente ocorreram e a capital, com 1.873 audiências realizadas, registrou um índice de conciliação de 48%, ou acordos em 898 dos processos.Outras dez comarcas do interior, do litoral e da região metropolitana de São Paulo participaram do mutirão, com um índice de acordo entre 19% (Marília, com 24 acordos nas 128 audiências realizadas) e 60% (Santos, com 178 acordos em 297 processos). A segunda maior comarca do Estado, Campinas, registrou 337 conciliações nas 887 audiências realizadas.O Setor de Conciliação em Segundo Grau do TJ paulista também participou do mutirão e obteve acordos em 40 das 100 audiências realizadas. ´Foi muito bom, porque mostrou uma adesão do Judiciário a essa forma eficiente de resolver conflitos´, anotou a advogada Lia Justiniano dos Santos, que participou do mutirão como voluntária.Lia defende a implementação da conciliação em São Paulo desde 1993. ´O conciliador é voluntário, não há custos para o Judiciário ou para as partes, e se elas não chegam a um acordo, isso não altera em nada o processo´, explicou ela.O CNJ manteve o balanço parcial divulgado sexta-feira, de 50.714 audiências em 56 tribunais estaduais, federais e trabalhistas de 550 cidades, com 27.386 acordos firmados (54%). Segundo a assessoria do CNJ, muitos tribunais ainda não haviam enviado os dados do mutirão e o balanço final só seria consolidado nesta terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.