Na Câmara, três cargos da Mesa serão disputados no voto

A disputa pelos cargos da Mesa Diretora da Câmara não se restringirá à presidência, à qual concorrem os deputados Aldo Rebelo (PCdoB-SP), atual presidente da Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP), líder do governo, e Gustavo Fruet (PSDB-SP). O prazo para as inscrições de candidatos terminou ao meio-dia. Haverá disputa por outros três cargos de titulares da Mesa, além das suplências. O deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE), indicado pelo partido para ocupar a 2ª vice-presidência terá de vencer no voto secreto o deputado Damião Feliciano (PR-PB), que também se inscreveu para o cargo. A maior disputa será pela vaga de 1º secretário. O cargo é considerado o segundo mais importante na hierarquia da Casa, porque é o que centraliza a administração da Câmara, incluindo os contratos de serviço e licitações. Na divisão das vagas entre os partidos, o cargo coube ao PMDB. Disputam a vaga os deputados peemedebistas Wilson Santiago (PB), indicação oficial da bancada, Osmar Serraglio (PR) e Hermes Parcianello (PMDB-PR). Também haverá disputa na vaga de 4º secretário. Querem o cargo os deputados José Carlos Machado (PFL-SE) e Edmar Moreira (PFL-MG). Há quatro vagas de suplentes da Mesa para cinco candidatos. Arnon Bezerra (PTB-CE), Maria do Carmo (PT-MG), Manato (PDT-MA) e Alexandre Silveira (PPS-MG) disputam como candidatos oficiais de seus partidos. O deputado Deley (PSC-RJ) corre por fora tentando uma das vagas destinadas ao bloco que inclui o PT e o PTB. Para o cargo de 1º vice-presidente só se inscreveu o deputado Nárcio Rodrigues (PSDB-MG). Também não haverá disputa para a vaga de 2º secretário, que será preenchida pelo deputado Ciro Nogueira (PP-PI), único inscrito para a eleição. O deputado Waldemir Moka (PMDB-MS) é o único candidato para a 3ª secretaria.A eleição é secreta e, pela primeira vez, será em urnas eletrônicas. Nove cabines de votação, incluindo uma para portador de deficiência, foram montadas nas laterais do plenário. Vence em primeiro turno o candidato que tiver a maioria absoluta dos votos válidos, que inclui os brancos. Se não for atingido esse mínimo, haverá segundo turno logo em seguida para definir o vencedor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.