Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Antonio Cruz/Agência Brasil
Antonio Cruz/Agência Brasil

Na Câmara, Heleno defendeu punição a militar que participa de ato político

'Militares da ativa não podem e serão devidamente punidos se aparecerem em manifestações políticas', afirmou Heleno quatro dias antes de Pazuello participar de evento com Bolsonaro

Lauriberto Pompeu, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2021 | 12h33

BRASÍLIA - Quatro dias antes de o general Eduardo Pazuello participar de um ato ao lado do presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, defendeu punição para integrantes das Forças Armadas que forem a manifestações políticas.

Em audiência na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados, Heleno afirmou que não vê problema em militares da reserva participarem de atos políticos. No entanto, no caso de integrantes da ativa - como é o caso de Pazuello -, defendeu  punições.

"Presença de militares nas manifestações. É preciso entender qual é essa participação. Os militares da reserva podem participar de manifestações políticas. Militares da ativa não podem e serão devidamente punidos se aparecerem em manifestações políticas, não tenho dúvida disso, isso é muito claro", declarou Heleno na quarta-feira, 19.

O Exército deve avaliar nesta segunda-feira se aplicará alguma punição ao ex-ministro da Saúde, que é militar da ativa das Forças Armadas. Antes, Pazuello vai se reunir com o comandante do Exército, Paulo Sérgio Nogueira.

O ministro do GSI havia sido convocado à comissão para prestar esclarecimentos sobre a disseminação de notícias falsas a respeito da pandemia por Bolsonaro. O requerimento da convocação era de autoria do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP).

"Participar sendo militar da reserva, pode participar de qualquer lado, é uma democracia, pode participar de qualquer lado, não tem restrição nenhuma, isso não deve ser considerado", comentou Heleno.

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, fez críticas nesta segunda-feira, 24, ao comportamento do general Eduardo Pazuello, que participou de ato bolsonarista ontem. Segundo o vice, o ex-ministro da Saúde "entendeu que cometeu um erro".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.