Na briga de Manaus, juíza pode dar a palavra final

Na capital do Amazonas, a definição no voto será hoje, mas o resultado poderá depender de decisão da Justiça Eleitoral. Na noite de quinta-feira, o Ministério Público Eleitoral pediu a cassação do registro de candidatura de Amazonino Mendes (PTB), com base em uma denúncia feita pela Polícia Federal - ele ele teria fornecido vale-combustível na véspera do primeiro turno. A juíza Maria Eunice Torres deve decidir sobre a acusação amanhã.Os advogados de Amazonino rebatem a acusação de compra de voto alegando que o gasto está na prestação de contas da campanha, para financiar gasolina para os colaboradores e cabos eleitorais do candidato.Na disputa do segundo turno - entre Amazonino e o prefeito Serafim Corrêa (PSB), candidato a reeleição -, o tom da campanha só subiu: da apresentação de propostas para os ataques. Amazonino comparou ações no governo do Estado com feitos do adversário na prefeitura. Usou um palhaço para representar o rival no horário eleitoral. Serafim gastou seu tempo para responder aos ataques.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.