Na Bahia, Serra cita prioridades, mas nega estar em campanha

Em entrevista a TV de Salvador, presidenciável do PSDB afirma que as 'mulheres são as melhores'

Tiago Décimo, de O Estado de S.Paulo,

18 de setembro de 2009 | 13h57

Em entrevista à TV Itapoan, retransmissora da Rede Record em Salvador, o governador paulista e pré-candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, disse que "as mulheres são melhores", depois de contar que representantes do sexo feminino atuando como policiais, delegadas ou promotoras de Justiça costumam ter resultados melhores do que os homens.

 

Veja Também

linkLula diz que PT esta pronto para 'ganhar eleição'


Governador de São Paulo, José Serra, participa do programa Balanço Geral, da TV Record
 

 

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, do PT, é a principal adversária de Serra numa eventual disputa presidencial.

 

Serra voltou a dizer que acha cedo para discussões sobre campanha eleitoral, mas mostrou temas que pretende abordar em sua campanha. Ele foi enfático, por exemplo, ao destacar os principais setores de sua atuação à frente do governo paulista. "A questão prioritária em São Paulo é saúde", afirmou, pouco antes de lembrar que, quando ministro da pasta, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, multiplicou os investimentos do setor na Bahia em 2,3 vezes.

 

O governador também destacou como prioridades o investimento em "ensino técnico para a garotada" e em segurança pública - tema sensível na Bahia, depois de uma série de ataques a ônibus e módulos policiais registrada na semana passada em Salvador.

 

 

"O País podia fazer mais nessa área", avaliou. "São Paulo investe R$ 12 bilhões por ano em segurança pública, o que é mais do que investe o governo federal inteiro."

 

Serra está em Salvador para proferir uma palestra sobre perspectivas econômicas para a Bahia e o Nordeste, a convite da Fundação Instituto Miguel Calmon de Estudos Sociais e Econômicos (Imic). O evento será realizado na tarde desta sexta-feira, 18, na Associação Comercial da Bahia, em Salvador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.