Na Bahia, meia cidade ''''sumiu''''

Para IBGE, Caatiba caiu de 19.780 habitantes para 9.877

O Estadao de S.Paulo

20 Outubro 2007 | 00h00

Um dos casos mais graves de diferença entre a população projetada e a aferida pelo IBGE neste ano é o de Caatiba (BA). Segundo dados do próprio instituto, a cidade "perdeu" nada menos que 50,7% dos moradores - de 19.780 estimados para 2006, caiu para 9.877 na contagem deste ano. O município baiano de Barra do Choça, também registrou uma brutal redução - de 52.583 para 32.487 (38,2%).Os dois municípios já entraram com recurso para recontagem de moradores. "No nosso caso, pelo menos, os erros são flagrantes", garante o prefeito de Barra do Choça, Gesiel Ribeiro (PR). "Se a população fosse esta que o IBGE mediu agora, teríamos metade dos moradores em idade escolar, um dado discrepante com relação ao resto do País. Sem falar que se somarmos apenas os estudantes com os eleitores - cerca de 22 mil - já teremos mais habitantes que o levantado pelo IBGE." Ribeiro ressalta que, com a diferença entre a população projetada e a aferida pelo IBGE, o município perderia cerca de R$ 4 milhões por ano.O prefeito de Cumaru, no agreste pernambucano, Roosevelt Gonçalves de Lima (PP), também está revoltado com o IBGE, que apontou uma redução de mais de 40% na população da cidade. E está disposto a recorrer à Justiça se o "erro grosseiro" impedir o município de receber os recursos do FPM que lhe cabem. Em 2000, o IBGE constatou uma população de 27.489 pessoas. Agora, sem que tenha havido nenhuma catástrofe, a população cumarense foi reduzida para pouco mais de 16 mil - número menor que o registrado em 1970. Sem indústria, o município sobrevive basicamente do FPM, cujos cálculos têm por base a população. "Se o IBGE não consertar o erro, teremos um corte de recursos de quase 50%", protesta o prefeito. "O município se torna inviável, vamos fechar." Roosevelt enumera os dados que, a seu ver, indicam o erro do Censo: Cumaru tem mais de 14 mil eleitores, quase 6 mil alunos nas escolas das redes estadual e municipal e passam de 18 mil as pessoas inscritas no Fome Zero. "Já contestei os dados administrativamente", informou ele. "Se não houver uma recontagem, entro com um mandado de segurança na Justiça para garantir os repasses do FPM." A projeção da prefeitura era de que Cumaru somasse, agora, uma população em torno de 32 mil pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.