Na Bahia, candidato quer tirar do ar rádio de adversário político

O juiz Osvaldo de Almeida Bonfim, da 18º zona eleitoral de Salvador determinou a retirada do ar por 24 horas da Rádio Metrópole FM, atendendo a uma ação impetrada pelo candidato a prefeito João Henrique Carneiro (PDT), líder nas pesquisas, que se sentiu ofendido pelo ex-prefeito, radialista e dono da emissora Mário Kertész. Entre outras coisas, provocado por um ouvinte Kértesz chamou Carneiro de "débil mental" no programa Jornal da Cidade do último dia 6, que apresenta.A sentença foi divulgada ontem mas até a tarde de hoje a emissora transmitia normalmente sua programação porque os advogados da Metrópole entraram com um recurso na 18ª zona eleitoral contra a decisão. Caso seja derrotado, entrarão com um efeito suspensivo. "Usaremos todos os recursos possíveis que a lei nos permite", repetiu Kertész nos seus programas na emissora.A nova lei eleitoral permite que emissoras de rádio e televisão veiculem nos seus noticiários a agenda dos candidatos. Os comentários contra e a favor de candidatos estão proibidos. Foi baseado nesse princípio que os advogados de Carneiro pediram punição contra a Metrópole. Além de sair do ar, a direção da emissora foi notificada a transmitir de 15 em 15 minutos uma nota explicando a punição e terá que pagar uma multa de R$ 21.282,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.