Mundo percebe peso das relações Brasil-China, diz Amorim

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse hoje que a grande atenção da imprensa internacional àvisita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China mostra a importância da aproximação entre os dois países para o quadro geopolítico internacional. "Como dizem os chineses, trata-se do maior país em desenvolvimento do Oriente e do maior país em desenvolvimento do Ocidente", disse Amorim. "Isso não é pouca coisa e o mundo está percebendo. É importante pelo que representa na geografia da política comercial." Segundo Amorim, a visita de Lula não é protocolar, mas "representa uma parceria estratégica no campo político, econômico, comercial, científico e técnico". O ministro disse que não há razões para os Estados Unidos ficarem preocupados com as relações sin o-brasileiras mais fortalecidas. "Se o Brasil e a China crescerem, terão mercados mais fortes e atraentes para os Estados Unidos", disse. "Não há no comércio e nas relações econômicas internacionais uma relação de concorrência." Segundo Amorim, Lula e o presidente chinês, Hu Jintao, deverão também tratar de temas internacionais, inclusive a ampliação do número de assentos permanentes no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.