Fernando Bizerra Jr/ EFE
Fernando Bizerra Jr/ EFE

Marcha das Margaridas chega à Esplanada e protesta contra impeachment

Manifestantes, formadas por trabalhadoras rurais, extrativistas, indígenas e quilombolas dão às costas ao Congresso em resposta aos pedidos de afastamento de Dilma

VICTOR MARTINS, O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2015 | 11h13

A 5ª Marcha das Margaridas, movimento que reúne mulheres trabalhadores do campo, indígenas, quilombolas e sindicalistas, teve início às 7h desta quarta-feira, 12, e chegou no final da manhã à Esplanada dos Ministérios, causando confusão no acesso a uma das regiões mais movimentadas da capital federal. Segundo a organização, a marcha conta com 100 mil manifestantes.

O ato é, em parte, uma resposta aos pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff. "Viemos de todos os cantos para dar um recado ao Congresso Nacional. Peço a todas que deem as costas ao Congresso. Repudiamos as manobras golpistas, tentando impor seu projeto de poder", disse aos manifestantes Carmen Foro, vice-presidente da CUT. "Queremos dizer que as Margaridas do Brasil vão ocupar as ruas deste País para garantir a democracia", afirmou.

Ainda nesta quarta, as manifestantes receberão a presidente Dilma Rousseff, às 15h, no Estádio Mané Garrincha, com uma faixa marcada pela inscrição “Fica Dilma. Em Defesa da Democracia”. 


Tudo o que sabemos sobre:
Marcha das Margaridasimpeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.