Ascom/TRF1
Ascom/TRF1

Mulher de Kassio Marques, indicado ao STF, é nomeada para trabalhar com senador do Centrão

Maria do Socorro terá cargo comissionado em secretaria comandada por Luis Carlos Heinze (PP)

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2020 | 19h47
Atualizado 02 de outubro de 2020 | 20h33

BRASÍLIA – Maria do Socorro Marques, mulher do desembargador Kassio Nunes Marques, foi nomeada nesta quinta-feira, 1º, para um cargo comissionado na Quarta-Secretaria do Senado, atualmente comandada pelo senador Luis Carlos Heinze (PP-RS). A nomeação ocorreu no mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro confirmou a indicação de Kassio Marques para a vaga de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal.

Maria do Socorro era funcionária da liderança do Podemos e ocupava um cargo no gabinete do senador Elmano Férrer (PI), que recentemente foi para o PP. O partido é comandado pelo senador Ciro Nogueira (PP-PI), um dos principais líderes de Centrão, que articula a aprovação de Kassio Marques no Senado.

No gabinete do Podemos, Maria do Socorro recebia R$ 11,5 mil mensais. No site do Senado não consta quanto ela receberá na secretaria comandada pelo PP.

O Estadão/Broadcast apurou que parlamentares do Centrão articulam para aprovar o nome do escolhido de Bolsonaro rapidamente.

O presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP) quer fazer a sabatina de Kassio Marques a partir dia 15, dois dias depois de o decano Celso de Mello se aposentar. O calendário da tramitação que pode confirmar o escolhido do presidente para a Corte será decidida em uma reunião com líderes na próxima terça-feira, 6.

Maria do Socorro já trabalhou em gabinetes de outros parlamentares do Piauí, entre eles o do ex-senador e atual governador do Estado, Wellington Dias (PT). Nesta sexta-feira, 2, Elmano Férrer voltou a comemorar a escolha de Bolsonaro. “Mérito e competência do Kassio refletem em orgulho do Nordeste e do Piauí em ter um representante na mais alta Corte do país”, escreveu o senador nas redes sociais.

Procurado para tratar da nomeação na quinta-feira, 2, Heinze disse que não estava sabendo. A reportagem também tentou contato com Maria Socorro nesta sexta-feira, mas não conseguiu falar com ela. 

A assessoria do desembargador informou que a vaga de Maria do Socorro era da cota de Elmano Ferrer no Podemos e que a migração para a Quarta Secretaria foi feita em função da mudança do parlamentar para o PP. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.