Ueslei Marcelino/Estadão
Ueslei Marcelino/Estadão

'Fomos responsáveis por tirar o Brasil do vermelho', diz Temer

Em evento de comemoração de dois anos da gestão, presidente defendeu que seu governo teve coragem para colocar em prática as medidas necessárias para combater a inflação e a recessão

Eduardo Rodrigues, Renan Truffi, Lu Aiko Otta e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

15 Maio 2018 | 15h56

BRASÍLIA - O presidente da República, Michel Temer, disse nesta terça-feira, 15, que muita gente disse “não” às ações do seu governo nos últimos dois anos, mas afirmou que a sua gestão conseguiu combater a inflação e a recessão que o País enfrentava.

+ Em cartilha de dois anos de gestão, governo usa dados desatualizados

“Foram dois anos de muita luta, mas também de muitas vitórias”, afirmou, em cerimônia de celebração de dois anos de seu governo, que chamou de reunião de trabalho. “Resolvi chamar todos do governo esse relato de tudo aquilo que foi ao longo desses dois anos de governo”, completou.

Para o presidente, seu governo tinha um plano e a coragem para colocar em prática as medidas necessárias. “Tínhamos um lema trivial, mas de grande significação: ordem e progresso. Não tínhamos dúvida nem hesitações, tínhamos caminhos traçados”, afirmou, citando a chamada “Ponte para o Futuro”, do PMDB. Segundo ele, esse documento, elaborado antes de sua posse, foi o mapa do seu governo até aqui.

+ Mote '20 anos em 2' provoca crise na comunicação do governo e é retirado de convite

Temer considerou que sua equipe nesses dois anos foi uma “da melhor dos últimos tempos”, e o resultado foi vencer a pior recessão da história do País. “Avançamos muito nesses 24 anos de trabalho. Me sinto responsável pelas atitudes e escolhas que fiz. Sempre pensei em um Brasil maior”, repetiu.

Ele citou a queda da inflação para cerca de 3% ao ano e o retorno do crescimento do PIB para uma taxa superior a 2% prevista para este ano. “Sem dúvida creio que todos nós fomos responsáveis por tirar o Brasil do vermelho e colocarmos o Brasil no rumo certo”, enfatizou.

+ Avaliação positiva do governo Temer permanece em 4,3%

O presidente elogiou o trabalho do ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, citando a aprovação do Teto de Gastos, que considerou o primeiro passo acertado do seu governo. “O teto ficará como legado para o futuro da gestão pública brasileira. Começava ali um sentimento de que era possível reformar o nosso País”, avaliou.

Temer fez uma homenagem ao deputado Rômulo Gouvea (PSD-PB), que morreu no último fim de semana. “Não queria começar essa reunião sem fazer essa lembrança e essa homenagem”, afirmou.

Petrobrás

O presidente Michel Temer afirmou que a atual gestão “salvou a vida” da Petrobrás. “Ao assumir o governo, recebi a Petrobrás em colapso, mas hoje é com alegria que anunciamos que a empresa está recuperada e teve quase R$ 7 bilhões de lucro no primeiro trimestre”, afirmou, em cerimônia no Palácio do Planalto.

Temer citou que o governo arrecadou R$ 18 bilhões nos últimos leilões de óleo e gás, mas destacou que a principal vitória foi resgatar o nome e a confiança na empresa. “Quando a Petrobrás cresce, diversas cidades também crescem. Acabamos de distribuir R$ 4 bilhões para Estados e os mais de 200 municípios que recebem royalties do petróleo”, completou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.