Mudança na CLT não vai prosperar, diz presidente do TST

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Francisco Fausto, afirmou nesta terça-feira que o projeto de flexibilização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), enviado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso ao Congresso, não deve prosperar no próximo governo. "Independentemente da escolha popular, estou certo de que haverá um rompimento em relação à proposta de flexibilização idealizada pelo governo federal e encaminhada ao Legislativo, inclusive se o candidato José Serra for eleito", disse o ministro.Francisco Fausto declarou que qualquer que seja o resultado das eleições presidenciais deste ano, a legislação trabalhista não será alvo de ataques tão drásticos como os sofridos nos últimos oito anos. "Este projeto de flexibilização não irá à frente", garantiu o presidente do TST durante encontro com representantes da Organização Internacional do Trabalho (OIT). "Todo o discurso de modernização da CLT revela, na verdade, uma preocupação em extingüir os direitos do trabalhador", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.